Pedro Évora e Pedro Rivera são os vencedores do Concurso Sede do Campo Olímpico de Golfe

* Crédito: Fernando Alvim

O vencedor do Concurso Sede do Campo Olímpico de Golfe foi anunciado na manhã desta segunda-feira (1º), às 11h, na sede do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Rio de Janeiro (IAB-RJ), pelo Presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, Carlos Nuzman. O projeto 312, de Pedro Évora e Pedro Rivera, autor e co-autor, respectivamente, foi o grande ganhador.

Évora e Rivera contaram com a colaboração de Carina Batista, José de Latorre, Thiago Tarsitano, Romulo Milanese e Mariana Vilallonga. O segundo colocado foi o projeto 340, de João Gabriel de Moura Rosa Cordeiro e dos co-autores Emerson Vidigal, Eron Costin e Fábio Henrique Faria. Luiz Adriano Trindade de Almeida, com o projeto 306, que tive como co-autores Anna Carolina Bueno Cardoso, Guillaume Philippe Sibaud, Gregory Arnaud Franck Bousquet e Olivier Jacques Antoine Raffaelli, ficou em terceiro lugar.

Segundo Pedro Évora, para sediar o Campo Olímpico de Golfe, eles optaram por desenhar um edifício organizado como uma confortável varanda, dissolvendo os limites entre a paisagem, o objeto e os usuários. Para isso, criaram praça que articula os volumes do programa à sua volta junto ao campo, coroada por uma grande cobertura que abriga e sombreia o espaço entre interior e exterior.

Ao todo, 82 equipes de arquitetos e paisagistas, de diversas cidades do Brasil, se inscreveram e 57 projetos entregues, os quais foram avaliados por um júri composto pelos arquitetos Gustavo Nascimento e Michael Johnson (americano especialista em projetos de campos de golfe), como representantes do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 (Rio 2016), e três arquitetos do Corpo de Jurados do IAB-RJ, Nivaldo Vieira de Andrade Junior, Eduardo Horta e o Fernando Alencar.

Para o coordenador do concurso, Cláudio Taulois, o projeto vencedor se impôs pela qualidade de sua arquitetura, mas também agradou os membros organizadores do Rio 2016 por sua funcionalidade e facilidade de gerenciamento.

O campo, que abrigará as competições da modalidade que volta aos jogos olímpicos após um hiato de 112 anos – integrou apenas as olimpíadas de Paris (1900) e Saint Louis (1904) – será construído integrado ao Parque Municipal Ecológico de Marapendi, na Barra da Tijuca. Um dos legados dos jogos, o Campo Olímpico de Golfe será público e terá como proposta popularizar o esporte e formar futuras equipes olímpicas.

Leia mais:

Resultado Concurso Sede do Campo Olímpico de Golfe

Sede do Campo Olímpico de Golfe: Divulgação de resultado no IAB-RJ

Concurso para o Edifício sede da Fatma e Fapesc