Rodas de conversa a partir de 7 de maio celebrarão o 50º aniversário da Premiação Anual do IAB-RJ

Um dos mais tradicionais acontecimentos da arquitetura e urbanismo no Brasil, a Premiação Anual do IAB-RJ, completa, em 2012, o 50º aniversário. Para marcar a data, o Instituto prepara uma programação especial que, ao longo do ano, reunirá arquitetos premiados em edições anteriores e convidados especiais. O primeiro dos eventos acontece no próximo dia 7 de maio com Marcos Konder Netto, Bruno Fernandes, Luiz Eduardo Índio da Costa e Miguel Alves Pereira.

O objetivo desses encontros é dar visibilidade a projetos e construções destacados em cinco décadas do prêmio, assim como a outros trabalhos de grande qualidade que fazem parte da história da arquitetura no Brasil. Assim, os encontros celebrarão a história da Premiação Anual, lembrando alguns fatos marcantes e curiosidades relatadas por profissionais de diferentes gerações.

A vice-presidente de Cultura do IAB-RJ, Cêça Guimaraens, explica que cada roda de conversa reunirá quatro arquitetos, sendo três deles autores de projetos escolhidos em uma ou mais edições do prêmio e um com origem e atuação em outros estados do país. “Pretendemos mostrar a história dessa Premiação, recuperando cada uma das décadas, começando pela de 1960, quando a ideia nasceu”, destaca.

Os encontros acontecerão no auditório do IAB-RJ (Rua do Pinheiro, 10, Flamengo, esquina com a Rua Dois de Dezembro), sempre a partir das 19h. A segunda edição já tem data marcada: 28 de maio. A entrada é gratuita, e não é necessário fazer inscrição prévia.

A cada edição, um dos arquitetos participantes será o apresentador do evento. No primeiro encontro, a função cabe a Marcos Konder Netto, que idealizou a premiação quando ocupava a vice-presidência do Instituto. Konder projetou o Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo (ao lado de Hélio Ribas Marinho) e a atual sede da Prefeitura Municipal do Rio.

“O IAB do Rio de Janeiro foi pioneiro, outros estados criaram suas premiações depois, inspirados pela nossa. Vejo como uma grande vitória, do IAB e da categoria, a chegada da Premiação ao aniversário de 50 anos”, disse. Vencedor do prêmio em 1967, com o projeto do “Monumento Rodoviário”, que seria construído na Barra da Tijuca, ele afirma que a série de rodas de conversa é muito importante para reunir pessoas de diferentes gerações.

Os demais participantes da primeira roda também carregam uma bagagem de respeito na arquitetura. O trabalho Miguel Alves Pereira em seu escritório influenciou toda uma geração de arquitetos no Rio Grande do Sul – seu estado de origem – e chegou a outros estados, como São Paulo e Bahia. O arquiteto foi eleito presidente do IAB nacional, cumprindo mandatos em 1974, 74 e 89.

Luiz Eduardo Índio da Costa foi o autor do projeto do Laboratório Nacional de Metrologia, localizado em Xerém, e destacado com Menção Honrosa na Premiação de 1987, na categoria “Espaço para Fins Diversos”. Ao lado de Claudia Amorim, ele recebeu o prêmio em 2003, na categoria residência.

Bruno Fernandes, por sua vez, é membro das equipes que desenvolveram os projetos do Centro de Movimento Deborah Colker, vencedor da categoria “Conservação e Valorização do Patrimônio Construído na Premiação de 2008 e do Parque Público Municipal de Ouro Preto, agraciado com Menção Honrosa na categoria “Urbanismo e Paisagismo” em 2010.