TERRACAP lança concurso de projeto para parques de Águas Claras

A Companhia Imobiliária de Brasília (TERRACAP) lançou na segunda-feira, 23 de janeiro, o Concurso Público Nacional de Projetos de Arquitetura e Paisagismo para os Parques Central e Sul de Águas Claras, no Distrito Federal. As inscrições estão abertas, e o prazo se encerra no dia 10 de março. Podem participar profissionais legalmente habilitados e em situação regular no Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) ou no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA). A organização da competição é do IAB-DF.

As inscrições serão realizadas exclusivamente na página oficial do concurso (iabdfconcursos.com.br/concursoparquesaguasclaras/). São requisitos obrigatórios o preenchimento do formulário eletrônico de inscrição e o pagamento da taxa de R$ 300, conforme descrito no edital da competição.

O concurso visa a seleção, em duas etapas, da melhor proposta para os parques Central e Sul de Águas Claras. O edital da competição garante também a contratação da equipe técnica responsável pelo projeto vencedor, que formalizará contrato com a TERRACAP, no valor de R$ 1.000.869,37, para desenvolvimento do Anteprojeto, do Projeto Legal e do Projeto Executivo de Arquitetura, Paisagismo e Complementares. A assinatura do contrato é prevista para até o dia 30 de maio deste ano.

Além do contrato, serão distribuídos R$ 100 mil em prêmio entre os três projetos finalistas. A proposta classificada em primeiro lugar ganhará R$ 50 mil. Os segundo e terceiro colocados receberão R$ 30 mil e R$ 20 mil, respectivamente. A comissão julgadora, composta pelos arquitetos Rosa Grena Kliass, Leandro Rodolfo Schenk, Raul Pereira, Bianca Ilha Pereira e Patrícia Veiga Fleury de Motos, poderá conceder ainda eventuais menções honrosas.

São critérios básicos de avaliação dos projetos, a serem considerados pela comissão julgadora: a qualidade paisagística e arquitetônica; integração urbana; mobilidade e acessibilidade; adequação às normas; clareza do projeto; funcionalidade e atendimento ao programa de necessidades; sustentabilidade; exequibilidade, economia e viabilidade técnico-construtiva; soluções passivas de conforto térmico e eficiência energética; contextualização urbana; acessibilidade, inclusão e adequação social; aspectos plásticos, éticos e estéticos do projeto; entre outros.

Na segunda etapa, os responsáveis pelos projetos finalistas, ou seus representantes, apresentarão, em defesa pública à comissão julgadora e a eventuais convidados indicados pela TERRACAP e pelo IAB-DF, os respectivos trabalhos.

O projeto de intervenção deverá contemplar propostas arquitetônicas, urbanísticas, ambientais e paisagísticas, que propiciem a interação social, atividades e eventos culturais e esportivos, além de infraestrutura para comércio de pequeno porte, de acordo com as diretrizes apresentadas nas bases do concurso.